terça-feira, 10 de julho de 2012

Orquestra


Nas cordas histórias desenham
como traços loucos ondulantes.
Singulares e perdidos desdenham
na luta feroz dos sons sonantes.

Acertam compassos rigorosos
mas deliram em desvaneios longos,
enérgicos passos audaciosos
nos mais belos instantes prontos.

Toca, fere, cura, oferece
instrumento que chora
num sorriso que padece.

Dança, marca, mascara, ensurdece
instrumento que cora
numa caricia que nos tece.


Sem comentários:

Publicar um comentário