quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Culpo a Lua


Culpo a Lua pela minha fraqueza,
aquela que me faz duvidar de mim,
daquela me veste dia a dia de incertezas,
da que me faz nascer repetidamente a tristeza.

Culpo a Lua de tudo saber
e de absolutamente nada me dizer.
Não me escondas o suave veredicto
de finalmente o ter.

Culpo a Lua de tudo de mim conseguir,
num tempo sem tempo, naquele momento de lembrança,
numa canção vestida de noite onde choro
enrolada no teu manto onde termino a dormir.

Culpo a Lua de sempre me querer
rendida ao seu cair que tira e retira,
o salvar do último instante que guardo,
aquele a que me agarro para finalmente parar de sofrer.


2 comentários: