quinta-feira, 4 de março de 2010

A maçã

Naquela tarde quente, a fada passeou à procura de um bom sítio para fazer uma sesta. Caminhou, de mãos nos bolsos dos calções, até que encontrou uma bela macieira carregada de maçãs que parecia estar sarapintada de pontos vermelhos.
Ajeitou-se sentando-se junto ao tronco. Tirou um chapéu muito usado do bolso e tapou a cara.
Estava quase, mas mesmo quase a adormecer quando sentiu um barulho e um baque na sua cabeça.
Abriu os olhos e levou a mão à cabeça sem saber o que se passava. E então encontrou uma maçã caída no seu colo.
Um grupo de duendes agitava os ramos da macieira com uns paus para que as maçãs pudessem cai sem piedade no chão.
Agora ela percebera como a maçã tinha ido parar à sua cabeça. Irritada abriu as asas e disse:
- Ei!!! Mas o que estão a fazer? Não viram que eu estava ali sossegada?
Os duendes riram e responderam:
- Quem te mandou estares debaixo da macieira. Queremos as maçãs.
- E com estes paus ficam fáceis de apanhar! - disse um elfo a rir.
A fada olhou para a árvore e para as maçãs no chão. Os duendes pegaram nas maçãs e começaram a comê-las. Porém, foram sendo largadas à primeira dentada entre algumas caretas de desagrado.
Surpreendida, a fada observava aquele ritual: pegavam, trincavam e deitavam fora. Baixou as asas, levou a mão ao queixo e a levantar o sobrolho perguntou:
- O que se passa com as maçãs?
- Não são grande coisa... - respondeu um duende com duas maçãs na mão.
- Mas comem-se! - concluiu outro duende num riso amarelo cuspindo a trinca.
Pegaram nos paus e voltaram a atacar a macieira à procura de novas maçãs.
A fada desviou um caracol do cabelo do canto do olho e reparou num elfo sossegado, sentado em cima de uma pedra e que olhava algures para aquela árvore. A fada afastou-se um pouco flutuando e, imobilizando-se no ar, descobriu para onde a criatura olhava com atenção. Era para o topo da árvore onde estava uma maçã que mal se via.
Os duendes continuavam a provar as maçãs e a não conseguir comer uma até ao fim.
A fada saltitava o olhar entre os duendes e o elfo solitário.
Cansados e fartos de tanta maçã e nada satisfeitos com o seu sabor, os duendes acabaram por se afastar deixando um rasto de maçãs danificadas em redor daquela árvore. O elfo baixou o rosto e saiu da pedra. Passou pela fada e mais uma vez olhou para o topo da árvore. A fada poisou no chão e cheia de curiosidade perguntou:
- Porque tanto olhas para aquela maçã que mal de vê e que ninguém quis tocar?
O elfo olhou-a em silêncio. Fez um leve sorriso e depois explicou:
- As maçãs mais altas numa árvore são as mais saborosas. Só que muitos não as querem provar porque exige muito esforço. Mas é essa maçã que eu quero.
A fada abriu os olhos e ao sentir a varinha mágica da Paciência a agitar-se na cintura, percebeu a intenção daquele elfo.
O elfo sorriu ainda mais e começou a subir o tronco da árvore.
Subida a subida notava-se a sua dificuldade mas ele não desistia. A fada batia as asas e flutuava acompanhando-o.
- Não queres a minha ajuda nem nada?
- Não. - respondeu o elfo sem desviar a sua atenção do topo da arvore.
- A sério? - repetiu a fada espreitando com a cabeça de lado e coçando a cabeça.
- Não.
Com muito cuidado e esforço, o elfo lá chegou ao cimo da árvore. Tocou na maçã pequena e arrancou-a. Guardou-a no bolso do casaco e iniciou a descida.
Quando chegou à terra firme, olhou para a maçã e deu uma dentada. A satisfação apoderou-se do seu rosto. E num grande sorriso disse:
- Deliciosa e quente. - E estendeu a maçã à fada para ela a provar.
Esta pegou na maçã e trincou.
Era de facto a maçã mais gostosa que alguma vez tinha provado.
Percebeu que muitos deixam escapar o melhor da vida porque não querem esforçar-se.


13 comentários:

  1. Bela metáfora... pode ser usada para muitos propósitos, mas sabes... fiquei com pena da maçã. :)

    ResponderEliminar
  2. Ficaste com pena da maçâ? Porquê?

    ResponderEliminar
  3. Não sei bem porquê... e se ela estivesse lá em cima porque não queria ser comida?

    ResponderEliminar
  4. llolololol Estava a ver quem tinha arrojo de a ir buscar ;-) Por vezes é preciso arrojo para se conseguir o melhor ;-)

    ResponderEliminar
  5. Obrigado pelo lol... eu sei disso... mas que queres, fiquei com pena da maçã... as especiais não deveriam ser comidas (ponto).

    ResponderEliminar
  6. Suzy, agradecida pelas tuas palavras .-)

    ResponderEliminar
  7. Ai que sentimental Ruy ;-) E desculpa pelos loles. Saiu!! :-))))

    ResponderEliminar
  8. Maravilha :-) é a realidade, tudo o exige esforço é mais "saboroso"... Bjão LF

    ResponderEliminar
  9. Grande metáfora!
    Oh Ruy... não tenhas pena da maçã. Ela quer (muito)cumprir o seu destino, mas apenas por quem a mereça! Trepa aí! Eu cá me vou ajeitando :-)
    Não é assim, Isa?! Parece-me que a fada é a que se esforça menos... coisas de fadas! :-)))
    Valha-nos a sua varinha da Paciência!

    ResponderEliminar
  10. A fada não se esforça muito porque tem asas o que facilita muito llolollol Mas tem a Paciência ;-)

    ResponderEliminar
  11. Gostei, mesmo que a maçã não fosse deliciosa e quente, o esforço foi recompensado pela conquista e pela partilha. A maçã era raineta?

    ResponderEliminar
  12. Não. Não era raineta. Era tal qual está na foto llolololol Um grande bem haja pelas suas palavras :-)

    ResponderEliminar